Cubatão – Bandidos roubam um carro que quebrou na Rodovia e foram presos

Como o carro quebrou, eles chamaram um táxi, mas foram descobertos pela polícia no caminho

A tentativa de levar um carro roubado para uma favela em Guarujá resultou na prisão de um motorista de táxi e seus dois passageiros, às 23 horas de segunda-feira, em Cubatão.

O carro tomado de assalto é um SpaceFox preto, que apresentou problema mecânico na Rodovia Cônego Domênico Rangoni, na altura do Distrito Industrial de Cubatão.

Julius Cezare Gonçalves da Silva, o Vaquinha, de 21 anos, Felipe da Silva Pontes, de 20, e um terceiro homem estavam no automóvel com a missão de levá-lo até a favela.

Porém, por causa do defeito do SpaceFox, essa missão foi abortada, sendo chamado um táxi para transportar Vaquinha e Felipe. O terceiro rapaz foi embora a pé antes da chegada do taxista.

Na condução de um táxi Renault Logan prata, o motorista Paulo Roberto Santos Marcelino, de 27 anos, chegou ao local e no veículo embarcaram Felipe e Vaquinha.

Informados que na rodovia havia um SpaceFox com queixa de roubo e que dois ocupantes desse veículo haviam fugido em um táxi, policiais militares iniciaram patrulhamento.

O Logan foi interceptado momentos depois. Ele trafegava em alta velocidade e com os faróis apagados na Domênico Rangoni, no sentido Guarujá-Cubatão (oposto ao que foi abandonado o SpaceFox).

Celular

Vaquinha, Felipe e Paulo Roberto foram levados à Delegacia de Cubatão. Os dois primeiros acusados não revelaram o nome do comparsa que foi embora a pé.

Porém, esta dupla admitiu que ganharia R$ 500,00 para levar o SpaceFox à Favela da Prainha, em Vicente de Carvalho, onde o entregariam para um homem chamado Jean. O carro foi roubado domingo à noite no Jardim
Casqueiro, em Cubatão.

Em relação ao taxista, o delegado Flávio Goda Magário informou que ele foi contratado por um homem apelidado por Bife para realizar a corrida à dupla.

“Apuramos isso, porque no celular de Paulo Roberto havia o registro da chamada deBife. Aliás, esta pessoa ligou de novo para o taxista, sem saber que ele estava preso na delegacia, e lhe perguntou se havia achado os passageiros”, disse Magário.

Para o delegado, há indícios de que Paulo Roberto tinha conhecimento de que fazia a corrida para passageiros envolvidos no transporte de um carro roubado, que apenas não se consumou porque o veículo quebrou.

Neste caso, ainda conforme o delegado, o taxista “dividiu tarefas” para a prática de delitos com os demais acusados presos e com outros que ainda não foram identificados.

Por esse motivo, Magário autuou em flagrante, por receptação e associação criminosa, o trio capturado pela PM. As investigações prosseguem para identificar os demais integrantes da quadrilha.

Fonte:A tribuna

Deixe Seu Comentário !

Comentários



Parabéns por ser visitante do Uola. Nosso intuito é informar com o melhor conteúdo todos os assuntos que nosso leitor realmente deseja ler, por isso, sua sugestão para pautas será sempre bem vinda.