Delegada diz que acusado de tentativa de estupro é psicopata nato

O vigilante alegou que pulou o muro do edifício após escutar barulhos e perceber uma estranha movimentação dos moradores

Apontado como o responsável por uma tentativa de estupro cometida contra uma criança de 9 anos dentro de um prédio, na Aparecida, em Santos, há pouco mais de 15 dias, o vigilante Élcio Boni, de 40 anos, foi preso na noite de terça-feira, no Centro de São Paulo. Ele foi capturado na Praça Júlio de Mesquita por um policial militar à paisana que o reconheceu na rua por conta de fotos e do retrato falado vinculados na mídia.

Trazido para Santos na tarde desta quarta-feira (05), Élcio admitiu para a delegada titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da Cidade, Déborah Perez Lázaro, que esteve no condomínio para visitar um amigo. E, na ocasião, teve contato com uma criança que ali brincava. O vigilante alegou que pulou o muro do edifício após escutar barulhos e perceber uma estranha movimentação dos moradores.

O acusado ainda revelou que depois do ocorrido deixou a Área Continental de São Vicente, onde morava com a sua irmã, e mudou-se para a Capital. Lá, estava refugiado na casa de amigos e vinha trabalhando como garçom em uma boate.

Psicopata nato

Durante o período em que esteve foragido, Élcio não mudou em nada as características físicas. “Ele é o psicopata nato. Tranquilo, calmo e educado. Durante as conversas com familiares não nos foi passado que ele tenha qualquer tipo de distúrbio mental. Os parentes, inclusive, se surpreenderam ao saber que Élcio estava novamente envolvido com abuso de crianças”, disse a delegada.

A surpresa se deve ao fato do vigilante já ter ficado quatro anos preso pelo mesmo crime. Em 2010, ele estuprou uma criança, também de 9 anos, em Ferraz de Vasconcelos, interior de São Paulo. “A forma de abordagem foi semelhante. Entrou em um prédio, brincou com algumas crianças e sob a justificativa de que precisava medir a altura de uma delas levou a garota para um canto, onde praticou o estuprou”, contou Débora.

Diferente do crime cometido em 2010, desta vez Élcio foi indiciado por tentativa de estupro de vulnerável, uma vez que iniciou o ato, mas não concluiu. Segundo a delegada, não está descartada a possibilidade do acusado ter feito outras vítimas na Região. “Isso pode sim ter acontecido com outras crianças e é importante que as vítimas ou representantes de crianças possam vir à DDM para tomarmos as medidas legais”.

Com a prisão temporária de 30 dias decretada, o vigilante acabou recolhido à cadeia pública do Município, onde ficará à disposição da Justiça. “Agora encerro o inquérito policial com o pedido de prisão preventiva”, concluiu a delegada.

Fonte: A tribuna

Deixe Seu Comentário !

Comentários



Parabéns por ser visitante do Uola. Nosso intuito é informar com o melhor conteúdo todos os assuntos que nosso leitor realmente deseja ler, por isso, sua sugestão para pautas será sempre bem vinda.