Eduardo Cunha tem mandato cassado por votação esmagadora

Cassação de Cunha tem repercussão internacional

Com cassação peemedebista fica inelegível ate 2027. Por uma votação esmagadora de 450 votos a favor e apenas 10 contra, o ex-deputado perdeu seu mandato com 193 votos acima do necessário.

Em discurso , Cunha afirma que esta “pagando o preço” por ter autorizado a tramitação do impeachment de Dilma Rousseff.

Veja a repercussão internacional sobre a cassação de Eduardo Cunha

O jornal americano “The New York Times” ressaltou que a votação do legislador conservador que liderou o impeachment de Dilma Rousseff foi “esmagadora” e frisou que o país segue mergulhado em uma crise política norteada por escândalos “colossais”. A publicação lembrou que o ex-deputado agora perdeu privilégios que protegem os políticos.

The Washington Post
O site do jornal fala que Cunha é mais um político do Congresso a cair ante os escândalos de corrupção gigantescos que vem revoltando os brasileiros. Afirmou que o deputado agora cassado perdeu apoio do governo que ajudou a levar ao poder e virou “troféu” da oposição.

Le Monde
O jornal francês usou uma frase ameaçadora de Cunha para resumir o caso: “aquele que assume o papel de juiz hoje deve [saber] que amanhã ele pode ser julgado”. Segundo o Le Monde, a Câmara não mostrou clemência e que Cunha já entrou na votação como “um cadáver político”. O site definiu o deputado cassado como “um doutor em falcatruas políticas”.

Daily Mail
A publicação disserta sobre a crise política, a corrupção e a liderança de Cunha para levar Dilma ao impeachment. Recordou que ele entrou na política na década de 1990, pelas mãos do ex-presidente Fernando Collor de Mello, o primeiro líder brasileiro eleito após o regime militar, mas que também perdeu o cargo.

The Washington Post fala que Cunha é mais um político a cair ante os escândalos de corrupção que vem revoltando os brasileiros (Foto: Reprodução / The Washington Post)

The Wall Street Journal
O Wall Street Journal destacou que a Câmara dos Deputados cassou o mandato de seu ex-presidente Eduardo Cunha com 450 votos contra 10. O WSJ também lembrou que Cunha liderou o processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff na Câmara.

Wall Street Journal destacou que a Câmara cassou o mandato de seu ex-presidente Eduardo Cunha com 450 votos contra 10 (Foto: Reprodução/Wall Street Journal)

 

Deixe Seu Comentário !

Comentários



Parabéns por ser visitante do Uola. Nosso intuito é informar com o melhor conteúdo todos os assuntos que nosso leitor realmente deseja ler, por isso, sua sugestão para pautas será sempre bem vinda.