São Vicente – Jovens do Hip Hop vão para os EUA

Integrantes da Atmosfera de Dança ainda estão em busca de recursos para participar do torneio internacional

O mês de agosto parece não chegar nunca para um grupo de jovens de São Vicente, mas é bom que seja assim. Afinal, cada dia que começa é uma nova oportunidade para integrantes da Companhia Atmosfera de Dança levantarem recursos em prol da realização de um sonho: participar da final internacional da Alliance Dance World Competition, principal competição de hip hop do mundo, que acontece na Califórnia, Estados Unidos.

Parte do grupo já está com passagens e hospedagens marcadas para o festival. Um passo de ousadia, já que os gastos elevados com o evento estão além das suas possibilidades financeiras. Mas superar dificuldades parece estar no sangue desses jovens. A maior parte dos 15 integrantes vem de famílias pobres – especialmente da Área Continental de São Vicente – e sempre lidou com adversidades.

São pessoas que tiveram de vencer a fome e o preconceito para encontrar a alegria pela dança. A trajetória peculiar atinge também o criador da companhia, Alessandro Cardoso. “Comecei a trabalhar muito cedo, a minha família era muito pobre. Vivemos muito tempo em favelas e cortiços, mas eu nunca desisti do meu sonho. Nem mesmo quando tive um problema sério na vista”, relata.

A motivação extra que Alessandro, hoje aos 36 anos, encontrou foi a dança. Por meio dessa atividade, obteve satisfação pessoal e, de quebra, a fonte de sua sobrevivência. Mas ainda lhe faltava algo. Foi então que, em novembro de 1997, ele iniciou um projeto de resgate social, sem o apoio de nenhuma empresa ou esfera do poder público. Sua intenção era auxiliar jovens de periferia a encontrar um sentido na vida.

“Eu sei o que é passar fome. Sei o que é a pressão por conquistar dinheiro. Sei como é o caminho das drogas e do crime. E por saber tudo isso surgiu a ideia desse projeto de resgate social”, conta. O trabalho iniciado por Alessandro vingou no Parque das Bandeiras, onde os ensaios acontecem aos finais de semana, na Escola Estadual José de Almeida Pinheiro Júnior.

O tempo passou e o grupo evoluiu, até vencer a seletiva que dava vaga no torneio internacional, que acontece de 20 a 23 de agosto. Por questões financeiras, apenas seis dos 15 integrantes do grupo farão essa viagem. Eles parcelaram as passagens e estadia em dez vezes, em prestações mensais que ultrapassam os R$ 400 por pessoa. Razão pela qual, têm promovido atividades abertas de danças de rua e bingos beneficentes (informações pelo 99640-0312).

“O pessoal está com tanta expectativa que comprou as passagens antes de ter o visto. Vamos com uma coreografia forte e temos chance de vencer”, garante o diretor e coreógrafo, Alessandro Cardoso. Se essa é a principal conquistado grupo até então? Ele discorda. “Mais importante do que qualquer premiação é saber que um jovem que tinha tudo para dar errado encontrou um caminho na vida”.

Fonte: A tribuna

Deixe Seu Comentário !

Comentários



Parabéns por ser visitante do Uola. Nosso intuito é informar com o melhor conteúdo todos os assuntos que nosso leitor realmente deseja ler, por isso, sua sugestão para pautas será sempre bem vinda.