Traficante ligado ao PCC é pivô de bloqueio ao Whatsapp

Serviço permanecerá fora do ar por 48 horas após determinação da Justiça

Mais de 100 milhões de usuários brasileiros do WhatsApp foram afetados pela determinação judicial que bloqueou o funcionamento do serviço de mensagens online por celular na madrugada desta quinta-feira (17). O aplicativo está fora do ar desde a 0h e deve permanecer offline por 48 horas.

A determinação atende a uma decisão da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, que enviou uma ordem judicial para as operadoras exigindo o bloqueio da ferramenta em todo o País.

A sentença, duramente criticada pelos usuários do aplicativo de mensagens, e que até ontem era tratada em sigilo, segundo o site Consultor Jurídico, diz respeito à investigação de um homem que foi preso em 2013, acusado de latrocínio, tráfico de drogas e associação ao Primeiro Comando da Capital (PCC).

Conforme o site, em novembro deste ano, depois de ficar preso preventivamente por dois anos, acusado de trazer cocaína da Colômbia e maconha do Paraguai, o homem foi solto pelo Supremo Tribunal Federal, em Habeas Corpus. Ele havia sido condenado a 15 anos e dois meses de prisão, mas teve o direito de responder em liberdade.

No entanto, a decisão que determinou sua soltura indicava que o acusado deveria permanecer no endereço indicado ao juízo. E foi em investigações envolvendo este homem que a Justiça solicitou ao Facebook, que é o dono do WhatsApp, informações e dados de usuários do aplicativo.

Como a empresa não atendeu aos pedidos, a 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo determinou que as operadoras de telecomunicações bloqueassem os serviços do aplicativo em todo o País por 48 horas.

Em fevereiro deste ano, o juiz Luiz Moura, da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina, determinou a suspensão do aplicativo Whatsapp em todo o território nacional, mas a decisão foi revogada por um desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí.

Fonte: A tribuna

Deixe Seu Comentário !

Comentários



Parabéns por ser visitante do Uola. Nosso intuito é informar com o melhor conteúdo todos os assuntos que nosso leitor realmente deseja ler, por isso, sua sugestão para pautas será sempre bem vinda.